Este blog foi montado com o intuito de retratar experiências de professores de SwáSthya Yôga que dedicam suas vidas a praticar, ensinar e difundir esta fantástica filosofia de vida.



terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Raízes antigas



Havia uma vez uma criança pequena, numa cidade importante junto ao mar. Para qualquer criança, a sua cidade natal é importante. Porém, esta era, independentemente de qualquer opinião pessoal, uma cidade mundialmente conhecida e isso tornava-a importante. Os habitantes daquela cidade estavam orgulhosos dela pois, além de tudo, era muito bonita. Tanto que, de comum acordo, chamavam-lhe Cidade Maravilhosa.

Tinha o mundo inteiro, lá fora, para descobrir, com ruas, montanhas, rios e praias e, sobretudo, muitas pessoas tropicais e amigáveis. Porém, quem sabe, por aquele mundo ser tão grande, a criança deteve-se, antes de sair a caminhar, e observou outro mundo muito mais próximo de si mesmo, um pequeno universo que, com o tempo, foi descobrindo que de pequeno não tinha nada. Um imenso mundo interior.

A criança observava esse mundo, permitindo que o exterior continuasse o seu percurso. Ela via os seus desejos a tomarem forma, na cápsula da sua mente e isso, de início, agradava-lhe. Com o tempo, já não foi suficiente e ele propôs-se a transpôr para a realidade todo aquele universo, construído no seu interior, sendo a realidade o mundo exterior conhecido por todos.

Após algumas décadas, chegámos nós. A criança, já adulta, era DeRose. E nós, ao ver esse universo, quisemos ser engrenagens que o ajudassem a funcionar ainda melhor. Engrenagens de carne e osso que constroem, levantam, projectam e, às vezes, tropeçam e provocam pequenos desastres.

Desde então, estamos aquí, integrando-nos, provocando-nos, estimulando-nos, trocando funções e papéis, vivendo para que o sonho, que nos inclui, tenha raízes cada vez mais firmes.
Anahí Flores


2 comentários: